Aquela lista de velhos projetos

Hoje quero trazer esse pensamento para vocês. Todo mundo tem aquela lista com velhos projetos, ideias, reparos, mudanças, reeducações para fazer né? Pode ser uma pilha no canto do quarto, uma lista em um caderninho velho, ou aquele pensamento que passa tão rápido que nem anotação vira. Todos vivem te rodeando, te lembrando de coisas que você vai deixando para amanhã ou depois.

E alguns projetos já foram até iniciados. Como uma tela de pintura que já recebeu algumas pinceladas, mas outros compromissos apareceram e a tela continua lá. Eu já fui dessas pessoas de projetos jamais terminados, muitos que no começo eu nem gostei e já abandonei, mesmo sabendo que a ideia final era muito boa.

Uma parede branca que você sonha em pintar, uma peça de roupa que você sonha em reformar, um tênis que você precisa esfregar e lavar, uma gaveta amontoada de coisas que você precisa passar um pente fino, uma tomada que precisa ser trocada, uma goteira que precisa ser investigada, um novo curso que você precisa se inscrever e começar a fazer, uma busca por um novo emprego, um DIY incrível que você salvou no Pinterest e quer muito fazer e por aí vai.

Me diz aí, qual o tamanho da sua lista?

Agora ao lado de cada item que você vive sonhando, o que te impede? Que esforço você deixa de fazer para não começar ou terminar?

Porque muitas vezes (e na maioria das casos) nada realmente impede a não ser nós mesmos. Você poderia dedicar 15, 30 minutos todos os dias após o jantar, mas aí pega o celular e não para de mexer, pega o controle remoto e não assiste nada, pula de um compromisso para outro e a tela lá, seguindo em branco, juntando poeira.

Tá mas e daí, só estou escrevendo sobre algo que você já faz e você tá aí rindo de nervoso ou virando os olhos. Por que e daí?

Faz um exercício comigo aqui. Lista aí tudo que você quer ou gostaria de fazer. Projetos pessoais, profissionais, artísticos e de casa. O que precisa para começar a realizar cada um? De quanto tempo por dia? Tempo total? Precisa de algum dinheiro?

E a partir de agora, assuma um compromisso a fazer ao menos um por mês! Escolha um dia da semana para trabalhar em cima dele. Se for algo que dê para sentar no chão e fazer, coloque uma música de fundo ou um filme/seriado que você adora reassistir.

Faça o tal do tempo que você nunca tem existir. É aquela velha história, quem quer faz sabe? Se você quer um quarto mais organizado, uma gaveta com coisas realmente úteis, um desapego, uma limpeza, uma arte, uma ideia, um projeto, você vai arranjar tempo para isso. Você as vezes só precisa lembrar daqueles momentos que você teria para fazer isso, mas inventa um compromisso, uma desculpa, ou simplesmente fica parada sem fazer nada.

Crie o hábito de criar listas, mas acima de tudo, crie o hábito de olhar para essa lista. Deixe ela em um local de fácil acesso. Se for coisas do trabalho, deixe ao lado de calendário, se for coisas de casa, na geladeira, no espelho, na porta do armário. E então programe seu dia e suas atividades incluindo suas tarefas antigas, lembre delas ao longo do seu dia, da sua rotina e assuma o compromisso. 

Caso contrário, as coisas vão ficando, acumulando, desintegrando, sonhos passando, novos projetos chegando e você aí, nunca tendo criando tempo.

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.

Leave a Reply