Chega de medo – Não a cultura do estupro!

Estou há dois dias perturbada, com a mente rodopiando entre notícias, comentários, discussões, nojo, asco, medo, pavor.

Seres humanos, se uma menina está embriagada em uma balada, seja ela qual for, na favela, em um grande show, na balada de luxo da sua cidade, não importa. Se ela está vulnerável, não, ela não está pedindo para virar piada na rodinha, não está pedindo para erguerem sua blusa e ser apalpada, nem para ser levada a um canto e ter seu corpo comprometido, sua mente, sua alma, sua vida. Tenha respeito, procure ajuda para levar essa menina para um pronto socorro e ser atendida por talvez estar em coma alcoólico, para levar ela de volta ao seu lar antes que algo terrível aconteça.

Me causa arrepios pensar que NINGUÉM fez isso! E causa asco ler gente falando que ela pediu, ela merecia. Me causa verdadeiro pavor pensar que tenho irmã e primas mais novas que saem, bebem e existem monstros como esses 30 e tantos críticos de sofá que julgam a menina e não os estupradores, e eles podem estar no mesmo lugar que elas, podem ver elas vulneráveis e se sentir no “direito” para se aproveitar. Me causa ainda mais pavor pensar que em poucos minutos, várias vezes ao dia, existem mulheres sofrendo abuso, estupro, violência.

Não se trata de estar ou não com a família, de usar uma roupa curta ou cobrir o corpo, de rebolar até o chão ou dançar sensualmente, de passar batom vermelho e usar salto alto, de frequentar ou não uma igreja. Você não conhece a história dela e nem de tantas outras meninas que sofrem isso todos os dias. Existem casos de estupro dentro da igreja sabia? Dentro da escola. Dentro de casa. E em nenhum caso, NENHUM, a menina pede pelo estupro!

Aquela mulher que está se divertindo na balada com as amigas não está pedindo para ter a bunda apalpada, seu cabelo puxado. Aquela menina andando sozinha não está louca por um elogio, uma abordagem. Tá errado gente! Tá muito errado tudo isso!

E se você é um desses que buzina na rua para a mulher que anda, se você acha graça no seu amigo que anda pela noite abordando as mulheres com toques inapropriados, que coloca “boa noite cinderela” na bebida achando legal, se você julga a menina pela roupa que usa, pela maquiagem, pelo jeito de dançar. TÁ ABSURDAMENTE ERRADO!

Empatia MUNDO! Busquem empatia. Essas meninas poderiam ser suas filhas! Esses meninos poderiam ser seu filhos! Coloque-se no lugar dela, no lugar da mãe, da família. Parem de julgar, criticar a atitude de 1 que foi contra 30, ou mesmo se fosse contra 1! Você acha mesmo que o problema tá na mulher? Você acha mesmo que a mulher anda sozinha na rua por necessidade com medo todos os dias e a culpa é dela? Que uma mulher não pode sair e se divertir? Que mulher pega transporte público sempre com medo do que pode encontrar, e a culpa é dela?

E não adianta de nada se calar e deixar que o mundo resolva. Não vai resolver dessa forma. Eduque, seus filhos, filhas, amigos, colegas, vizinhos, denuncie o crime. Chega de ter medo, a regra agora é educar, se impor, e botar um basta na cultura do estupro, botar um basta na mentalidade machista!

Comments

comments

Avatar

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.