Compra-se um metabolismo melhor – Fazendo escolhas e mudando hábitos

Como falei aqui já, não sou a maior junk do mundo, na minha casa as frituras rolam muito raramente e quando tem doce, é um bolo caseiro que fazemos ou cookies. O problema é a preguiça de fazer legumes e quando estamos fora.

Tive algumas provas de que estou mudando meus hábitos na semana passada. Um dia que tive que fazer almoço só pra mim, a compra de carne da semana e o trabalho de fazer caldo de frango com a carcaça dos frangos que comprei. É muito comum aqui em casa rolar uma super preguiça de fazer comida e estar com fome ao mesmo tempo, então recorremos ao macarrão ou até mesmo ao miojo. E não, não fazemos um macarrão cheio de creme, molho, queijos e gordura, geralmente faço só com tomates ou abobrinha ou até mesmo só passo na manteiga e limão. Sem exagero, sem gordisse. Mas geralmente temos opções na geladeira, folhas, legumes, verduras e porque vai demorar mais 10 minutos para comer do que o macarrão, vamos para a opção mais rápida.

Mas já mudei minha lista de mercado, macarrão vai ser aquela comida que compramos de momento, porque vem alguma visita ou alguma refeição planejada, então não comprei uma massa de cada tipo para ter no armário como muleta. Eu não tenho muito desejo por miojo, e quando preparo, dificilmente uso o pacotinho de tempero, crio uma outra receita.

E na compra para as carnes, como tudo tinha subido o preço, optei por comprar mais frango, e só tinha com osso, então ao chegar em casa com as peças, nada de mandar direto para o congelador com preguiça de lidar com isso, tirei os peitos que me interessavam, congelei em pacotinhos cada peito separadamente, assim podemos ir tirando conforme a necessidade e mandei as carcaças em um panelão com água e fervi para ter 4 vidros cheios de caldo de frango. Assim tive peito de frango separadinho para facilitar o uso durante a semana e para fazer sopas, caldos e até o arroz. Temos caldo de frango naturalzão, nada de tabletes cheio de sódio.

O próximo passo é comprar mais peixe e incluir isso na dieta. Como nos mercados que frequentamos geralmente não possuem peixaria, somente peixes daqueles congelados e cheios de gelo injetado, ficamos sem consumo de peixe. Mas vamos tentar mudar a rota e passar em outros supermercados, nem que seja somente para ir na peixaria.

E quanto ao estar na rua, é o maior perigo, ir ao shopping, o centro da cidade, cinema, restaurante, festa. Tudo tem tanta informação, a batata frita sempre apetece mais, na pressa pra não perder a hora do cinema o hambúrguer é mais rápido, os pipoqueiros, a coxinha, os doces, tudo na rua chama a atenção, e eu estou tendo que aprender a comer antes de sair, ou mudar minhas escolhas na comida de rua ou ainda, esperar chegar em casa. Ontem foi um exemplo perfeito, tive que passar pelo centro da cidade e já estava no meio da tarde e na hora da fominha, sorvetes, milk shake, lanchonetes com “sanduíche natural”, pão de queijo e toda aquela informação, pessoas passando com comida na mão, tomando algo, mas voltei, firme e forte para minhas frutas em casa ou o wrap rápido somente com queijo. Sem falar que economizei de não comer na rua.

Em festas, diminuí também, dou um tempo entre um salgadinho e outro, não encaro mais a comida à vontade com comer sem parar.

E essa semana começamos o treino de corrida, devagar e sentindo nosso corpo, seguindo uma programação para não puxar muito. Mas já ficamos felizes de ter começado e mesmo a chuva impedindo a caminhada no final de semana, não desistimos e continuamos na segunda feira, sem tristeza.

E bom, minha balança está sem bateria, então vou deixar para sentir nas roupas se alguma coisa muda, se eu me pesar e nada mudar, é capaz de eu ficar triste e dificultar ainda mais a perda de peso.

Comments

comments

Avatar

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.