Compra-se um metabolismo melhor – Uma nova fase

Faz tempo que não escrevo nessa coluna, fui até ler o último post pra ver onde parei.

Então fecharam os dois meses de tratamento, me sinto mais feliz com meu corpo e tenho uma nutricionista mega feliz com os resultados até então (e eu, obviamente). A taça de vinho comentada naquele post não foi bem aceita pelo meu corpo na verdade, ganhei gordura naquela semana e o metabolismo deu uma balançada. É incrível acompanhar o processo e ver pequenas saídas da rotina certinha como altera o corpo que está indo tão bem. E se você está aí se perguntando se não sinto falta de vinho, se não sinto vontade, sinto, é claro, mas bem menos necessidade que eu sentia antes de tudo. Amo o sabor, ler a respeito, conhecer, mas ele tinha passado a ser o motivo e desculpa para tudo: tava cansada, tava de tpm, tava irritada, ia receber amigos, ia fazer uma janta mais caprichada…tudo era motivo de “ah, isso vai com uma taça, preciso de uma taça…”. E eu me sinto super bem agora, não me incomodo de beber água em eventos sociais, e acredito que as pessoas se incomodam muito mais que eu porque sempre tem os que olham e: tomando água Mariana? Não quer mesmo nem uma tacinha? Não acredito que não vai me acompanhar!

As consultas com a nutri agora serão mais espaçadas, sem necessidade de ser semanal, o que dificulta um pouco o foco, mas acho que hoje estou bem mais disciplinada que dois meses atrás, então fica mais tranquilo, mais fácil de levar. E como falei nesse post aqui, existe sim dieta no frio e pra mim é ainda mais gostoso por três motivos: chá quentinho, sopas e mingau de aveia! E o mais legal é que o corpo responde super bem para a dieta no frio, para os exercícios e então, quando começar a esquentar e todo mundo tiver desesperado para perder peso, eu estarei em minha melhor fase! Então vamos focar nisso, certo!?

A fase de alimentação agora (estou nela tem uns 20 dias) é uma simples e eu estou bem adaptada, e na última consulta o exame de bioimpedância mostrou que meu corpo também está e evoluiu super bem, mesmo com tpm. Na próxima consulta o cardápio deve mudar e veremos como vai ser.

E gente, como melhorar a alimentação muda nossa percepção dos alimentos. Dependendo da comida posso sentir o excesso de sal, de temperos artificiais, da gordura ou de açúcar, então talvez eu tenha ficado mais exigente para comida e passei a dar muito mais valor pela comidinha feita em casa, o que é uma parte muito boa! Mas como na rua normalmente quando preciso, procuro melhores opções e nem sempre é um grande acerto.

E pronto, várias informações soltas sobre as últimas semanas que situam em que pé que estou. E para ilustrar, uma foto usando o mesmo vestido, uma no ano passado e outra nesse final de semana:

antesdepois

As pregas ficavam repuxadas, ele apertava na cintura, nas axilas e mesmo com o casaco dá pra ver tudo isso e bom, nem vamos falar da papada e do rosto. E eu não estava infeliz não, mas estava entrando no perfil de obesidade e não queira isso para mim mais. Odiava sair em foto que aparecesse além do meu rosto – porque somente esse ângulo dá para virar e tentar posicionar da melhor forma – alô auto estima!

Comments

comments

Avatar

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.