Compra-se um metabolismo melhor – Vinho e pequenas vitórias

Chegando perto de completar 2 meses desde o início do tratamento conto para vocês, já eliminei 6% do percentual de gordura! E estou perto de eliminar meu shorts jeans favorito – só não eliminei ainda pelo apego emocional. Mas um shorts voltou a servir junto com outras peças que estavam paradas no armário, saia, vestido e as camisetas? Voltaram a ser camisetas, antes pareciam baby look, bem certinhas no corpo. Então essas são as pequenas vitórias, que na verdade colocam um sorriso impagável no rosto!

E esse final de semana eu bebi meu amado vinho! A não ser na fase detox, em nenhum momento fui “proibida” de consumir bebida alcoólica, pelo contrário, na pirâmide de alimentação uma taça de vinho está lá, mas como eu estava mudando tudo, decidi que seria melhor me privar por um tempo. E não tem sido difícil, juro! Tem dias sim que dá vontade, assim como tem dias que sinto vontade de coxinha ou de uma bela fatia de bolo. Mas na última consulta conversamos a respeito e ela me liberou uma taça a cada quinze dias. Pouco? Talvez, mas acho que preciso reaprender a beber, assim como estou reaprendendo a comer. E não é para sempre, minha nutricionista quer ver como meu corpo responde para então ver com duas taças. Então nesse final de semana, aproveitei cada segundo de minha taça de vinho, curti cada gole e aroma, como deve ser! Tomaria mais uma? Com certeza! Ainda mais com visita em casa, bate papo e risadas, mas sem problemas, peguei meu copo de água e continuei a conversa.

Na parte física, um desses dias saí para uma caminhada e tentar uns tiros de corrida, foram 30 minutos só (era final da manhã e o sol estava torrando), mas me saí muito melhor que antigamente, quando saía para caminhar todos os dias. Minha resistência melhorou muito, não senti dor nas pernas (sentia dor nas canelas no começo até o corpo esquentar), consegui correr mais facilmente e terminava cada tiro sorrindo. Na verdade, muitos exercícios que faço eu percebo minha evolução e consigo sorrir no meio ou quando termino uma série sem fazer pequenas pausas esperando uma quase morte, eu comemoro. Mas aceito os dias que o corpo não responde bem ou até quando está calor e termino o exercício, mesmo que fazendo mais devagar.

E é legal reparar na mudança de comportamento também, esse final de semana fizemos comida mexicana e percebi que geralmente quando estamos em grupo não prestamos atenção em quantidade, e como está tudo lá na mesa para montar quantos burritos couber e o papo vai rolando solto (muitas vezes até competição de quem come mais) não fazemos a conta ou balanceamos – e tudo bem na verdade, mas não nesse momento para mim. Então eu comi devagar, escolhi melhor meus ingredientes e comi bem menos que todos e não me senti mal depois por ter exagerado.

E é bom mudar gente, quando a mudança é para melhor! 

Comments

comments

Avatar

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.