Confissões de uma corredora BEM amadora

Tem um tempo que eu comecei a brincar de correr, não sou atleta, sou só corredora mesmo. Pra mim mesmo, nada de mirar em uma maratona ou qualquer corrida noturna famosinha. Comecei devagar e fui sentindo o que eu achava. Porque sinceramente, toda a atividade física que pratiquei a vida toda, em algum tempo eu já estava de saco cheio e entediada. Então fui deixando ser. Depois de um bom tempo brincando comecei com treinos guiados por um aplicativo e por aí vai.

Mas eu não vim falar disso aqui, vim falar das bobeiras que passam por minha cabeça enquanto estou “treinando”.

1 – Como é que essas pessoas correm tão normal?

Sim, passa a mesma pessoa por mim umas 3 vezes, sem suor, sem parecer cansado e SEMPRE CORRENDO! Eles não precisam intercalar, não precisam andar um pouquinho e deixar o coração acalmar? O coração deles acelera?

Parece que quase todo mundo é meio Forrest Gump e corre sem preocupação, sem o coração sair pela boca. E aí você chega em casa, quase satisfeito e contente com o treino do dia, e vai ver os coleguinhas postando fotos dos seus relógios modernos e já correram uns 15Km em mais ou menos uma hora – ou seja, o tempo que eu caminhei e corri nem 5Km.

Outro dia uma menina passou por mim algumas vezes de boa, correndo como se tivesse desfilando e com o cabelo enorme solto! Como que ela não sente calor com esse cabelo no pescoço, nos ombros, nas costas inteiras?

E os casais que fazem exercício de mãos dadas? Não sente calor nas mãos? Não se atrapalham com as passadas diferentes?

2 – O minuto mais longo da vida

Aí no treino tem intercalado, andar e correr. Depois de alguns tiros de corrida, juro que os minutos ficam bem mais longos. A moça não me manda nunca andar nos fones, fico correndo por muito mais tempo do que devia.

3 – Calor x frio

Odiei correr no frio, sério. O ar entra frio, gela o nariz e o rosto inteiro, o corpo demora muito para esquentar e parece ridículo sair de legging e moletom grande, enquanto tem gente de shorts e uma jaquetinha corta vento. Essas pessoas não sentem frio?

Mas olha, no calor é uma coisa louca. Parece que não rende, a vida fica mais abafada. Na primeira quadra já dá vontade de tomar água e sentar na sombra. E quando termina? Quem me vê acha que vou ter um troço, desmaiar, morrer, ou algo assim.

4 – Hormônios femininos são uma droga

Não sei se você sabe, mas cada época do mês os hormônios estão aprontando algo diferente no corpo. Tem aquele período que a mulher se sente linda e poderosa, tem a famosa TPM, mas no meio disso, tem época que o corpo fica maluco. Fica mais difícil correr, mais inchado, mais fome, menos fome.

E aí você fica super feliz com um treino que rendeu, você se sentiu bem, não teve uma sensação de quase morte. Mas no próximo treino a quase morte chega logo no primeiro quilômetro e você se sente imprestável, quer voltar pra casa e deitar enroladinha na cama porque você não nasceu para atividade física.

5 – Tem dias que tudo incomoda

Deve ter a ver com o ítem ali de cima, mas o cadarço do tênis fica torto e a ponta fica esfregando na sua canela. Aí o fio do fone fica se enrolando em você, no braço, no celular. A camiseta fica caindo pra um lado, a calcinha decidiu entregar em você inteira. Entra uma pedra no tênis, nenhuma música da playlist parece boa.

Sem falar do tempo, começa a garoar, sol na cara, vento. E aí tem o famoso coco de passarinho!

6 – As tentações no caminho

Olha, eu ano na ciclovia da cidade e no caminho passo por duas padarias (que liberam aquele aroma absurdamente bom de pão saindo do forno), duas churrascarias, duas pizzarias, uma confeitaria, uma sorveteria, e sempre tem um caminhão de uma hamburgueria estacionado em algum lugar do caminho, com aquela foto perfeita de hambúrguer com cara de perfeito.

Dependendo do horário que vou, é quando tudo começa a funcionar, pães saindo do forno, pizzas começando a sair para entrega, carnes indo para a churrasqueira. É maldade sabe? As vezes eu passo bem, mas tem dias que o cheiro parece de desenho animado e só falta eu sair flutuando em direção a ele.

7 – Quero fotografar tudo

Quando ando pela cidade, seja passeando ou fazendo exercício, gosto de ir observando em volta. E muitas coisas atraem o meu olhar e parecem boas para uma fotografia. Mas aí tem que tirar o celular da case do braço, que geralmente tá enrolando com a minha chave e trabalhando os aplicativos de corrida, de tempo, de música. Perco o timming. Fora que crio competições comigo mesma, então odeio parar para fazer foto e diminuir meu tempo médio.

Então, minha tática, se a foto que imagino é algo estático, vejo na ida e já me preparo com a câmera aberta quando estou chegando perto do ponto a ser fotografado. Aí é só fazer a foto e seguir o rumo! Mas se é algo em movimento, tipo um cachorrinho foto, fico olhando, sorrindo e sem foto mesmo.

8 – Caminhar meditando

Meus momentos de caminhada são quase meditando. Vejo cores do céu, desenho das nuvens, aves, pessoas, cachorros, flores, grafites, pichações, ciclistas, carros e tudo mais que passa em meu caminho. Enquanto minha respiração volta a sua normalidade, vejo o mundo sendo tão normal e bonito.

Parece bobo, mas é relaxante, e isso eu curto mais que qualquer outra coisa. Faz um bem danado pra saúde mental!

9 – Por que essas pessoas estão me passando?

Ainda tem o fato de eu ser baixinha, ter pernas curtas, estar caminhando rápido e todo mundo me passa! Sério gente, eu tô andando rápido, como vocês tão me passando? Sim, sou super competitiva e odeio quando começam a me passar quando eu acho que tô indo bem e andando rápido!

10 – Parem de fumar no meu caminho!

Olha, eu sempre odiei cheiro de cigarro, e pra piorar, tenho um olfato super aguçado. Então sinto de longe o cheio da fumaça. Mas quando fumam na minha frente ou sopram aquela fumaça na minha cara é ainda pior. Aí você tá lá, respirando certinho durante o exercício e passar por um fumante. Sério!

Então, horário de saída do pessoal dos escritórios aqui perto de casa, é o pior horário para sair para caminhar. Porque é o momento de liberdade deles e uma hora terrível para mim.

11 – Andem na calçada!

Em um espaço tem calçada e ciclovia, e onde as pessoas passeam? Isso mesmo, na ciclovia! Se é irritante pra mim, imagine para os ciclistas. Mas sabe o que é ainda pior? Grupos, passeando juntos, batendo papo. E nessas horas lá vou eu seguir correndo pela grama, desviando por baixo de árvores, desviando pela rua e elas seguem seu passeio, tomando seu sorvete e fumando seu cigarro.

12 – Vou para ver cachorros

Se tem algo que eu amo são cachorros! E não importa o horário, sempre tem gente passeando com seus cachorrinhos e eu vou sorrindo para todos eles. Mas a vontade é parar e cumprimentar cada um, fazer um carinho e ganhar uma lambida.

E amo observar cada um. Outro dia um cara estava correndo e seu whippet corria ao lado com a coleira na boca, então ele encontrou um cheiro incrível, largou a coleira e foi ver. Mas aí seguiu a corrida, deixando a coleira pra trás. O dono já estava metros a frente chamando e mandando ele voltar para pegar a coleira. E o lindão voltou, pegou e voltou para sua corrida com o dono <3 Tão lindo gente, não tem como não sorrir!

Mas de um modo geral eu gosto, estou gostando cada dia mais. É um tempo que tiro pra mim, se estou mais irritada vou mais longe e demoro mais, se estou agitada pego mais pesado na corrida e se estou tranquila caminho passeando mesmo.

Mas tá aí, minha lista de coisas que passam em minha mente enquanto caminho e corro. Se você caminha ou corre, pode aproveitar minhas playlists especiais, tem a Pop para Treino e a Barulho Bom para Correr.

PS: Melhor gif foi o de capa hoje! <3 Phoebe <3

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.