Livro – A luz que perdemos

Não sei o motivo pelo qual não leio muitos romances, mas toda vez que abro as páginas de um, eu me pergunto “como demorei tanto pra apreciá-los?”. Adoro romances e dramas, porém nem todos são agradáveis para mim e sempre acabo achando fantasiosos demais. É por isso que procuro escolher as histórias que mais se assemelham com a vida real. Essas sim, nunca me decepcionam.

Foi assim que escolhi o livro A luz que perdemos, de Jill Santopolo, e fiquei encantada já nas primeiras páginas. Lucy, a personagem principal, é quem narra toda a história, e o mais legal é que a narração parece uma carta gigante para Gabe, seu primeiro amor e ex-namorado. Uma carta onde Lucy abre seu coração, conta sua grande paixão e tudo o que sempre sentiu por Gabe, além de como foi sua trajetória após o término com ele.

Durante o livro, a personagem narra o seu primeiro encontro com Gabe em um dos dias mais marcantes dos Estados Unidos, o 11 de setembro, quando dois aviões colidiram com as Torres Gêmeas. Mostra também como se apaixonaram e viveram um amor puro incêndio, mas que chegou ao fim quando Gabe decidiu seguir carreira de fotojornalista fora de Nova York, fotografando a guerra no Oriente Médio.

“Alguns relacionamentos parecem um incêndio na mata: intensos, majestosos, irresistíveis, perigosos, capazes de te queimar antes que você perceba. Outros são do tipo fogo de lareira: sólidos, estáveis, confortáveis, acolhedores, nutritivos”

Ao partir, Gabe deixa para trás uma Lucy despedaçada. A partir daí nos envolvemos nos mais profundos pensamentos dela, em sua incrível forma de pensar e levar a vida e como a personagem seguiu em frente, conheceu um novo amor chamado Darren, construiu sua
família, mas sempre levando Gabe no coração. Acompanhamos quase 13 anos da vida de Gabe e Lucy, que mesmo separados são atraídos um para o outro, sendo repelidos e unidos de forma surpreendente.

“O amor faz isso. Faz você se sentir invencível e infinito, como se o mundo inteiro estivesse à nossa disposição, tudo pudesse ser conquistado e todo dia fosse repleto de maravilhas. Talvez porque nos abrimos para alguém, nos deixamos penetrar pelo outro. Ou talvez amar seja se doar tão profundamente a outra pessoa que o coração da gente se expande”.

Foi um dos livros mais sentimentais e reais que eu já li, com questões determinantes, decisões, pensamentos e escolhas que fazem parte do dia a dia de cada um de nós. Tenho que admitir que segurei as lágrimas diversas vezes, em partes por me identificar com os momentos que Lucy passou, em outras por ler tanta verdade em tão poucas páginas.

A luz que perdemos é sobre a vida, sobre o amor, paixão, as escolhas que temos que fazer ao longo dos anos, profissão, casamento e em como certos sentimentos vão nos acompanhar, não importa quanto tempo passe. Mas, principalmente, é uma reflexão linda e sensível sobre o poder do primeiro amor e sobre a força que existe em perseguir nossos sonhos.

Um livro realista e, por isso, carregado de tristezas. Com ele você não vai descobrir um enredo cheio de reviravoltas, e sim uma explosão de sentimentos verdadeiros, possíveis a todos nós e carregado de lições. Com certeza vou lembrar de A luz que perdemos com carinho, por muito tempo. É uma daquelas histórias que você conhece e começa a indicar para as pessoas com P maiúsculo, como a autora fala no trecho abaixo:

“Muitas vezes penso em como a gente agrega pessoas no decorrer da vida. Ou, melhor, Pessoas com P maiúsculo. Aquelas às quais recorremos quando estamos em uma situação crítica. Aquelas em quem podemos sempre confiar”.

Gostou? Manda esse amorzinho de livro para uma pessoa especial.

Comments

comments

Lorena Possas

Lorena Possas

A Lorena é jornalista por formação e redatora por paixão. Antes de se formar em Jornalismo, fez um ano de Design de Moda, onde descobriu que preferia fazer os trabalhos escritos, do que aqueles em que precisava costurar no ateliê. Durante sua faculdade de Jornalismo, conheceu o cotidiano das agências e se encontrou como redatora, produzindo conteúdo web. Sua paixão pela escrita é um reflexo do seu grande amor pela leitura. Desde pequena, passava dias e noites lendo os livros que a sua família comprava de presente. Hoje, cada vez mais apaixonada pelos livros, adora descobrir novos autores e não consegue escolher qual é o gênero literário que mais adora, pois está sempre buscando conhecer e aprender com novas histórias.