Livro – Tintos e Tantos

Ganhei esse livro de aniversário porque na capa está definido como “se você gosta de Sex and the City e Masterchef, este é  seu livro”. E não tem melhor definição para mim! Já assisti várias vezes todas as temporadas e filmes, vejo um pouco de mim em cada personagem e me apaixono sempre mais por Nova Iorque. E Masterchef é minha grande inspiração para cozinhar, criar receitas, pensar nas texturas e sabores. Então sim, eu amo assistir os dois. E comecei a ler o livro cheia de expectativa!

Que erro.

Mas aqui vai a sinopse:

“Aos vinte e poucos anos, Tess deixa sua cidadezinha no meio do nada para tentar a vida em Nova York. Sem grana, sem amigos e vivendo em um quartinho alugado, ela arruma um emprego como garçonete em um badalado restaurante de Manhattan, abrindo a porta de entrada para um novo mundo. Inspirado nas experiências da própria autora, “Tintos e Tantos” figurou por semanas na lista de best-sellers do New York Times”.

Animador né? Aquele sonho de se mudar, nada te prender na cidade natal e ir realizar algum sonho. Ainda mais se essa cidade destino é a tão sonhada Nova Iorque.

Acontece que ao longo do livro o tédio chega, e até agora eu começo a me questionar se fui ficando tão entendiada que eu vi a citação do nome da protagonista lá pela metade do livro ou se é realmente isso. Acontece que a Tess consegue o emprego no restaurante chique, não, não é de garçonete, porque aparentemente você precisa passar por várias funções para ser promovida a garçonete. Então ela chega nesse restaurante de funcionários esnobes, ninguém fala com ela, mal ensinam, são sempre grosseiros e ela vai aprendendo e pegando o pique. É massa ver essa perseverança, os dias de folga passeando e visitando museus, mas não se aprofunda em mais nada. Não sabemos quem ela é e qual seu passado, não conhecemos melhor ninguém do restaurante, nem mesmo aqueles que ela cria um certo laço. A relação amorosa dela é zuada, as de amizade mais ainda. É tanta bebida e cocaína que você vai ficando atordoada sem entender nada do que rola. É tanta briga, tanto rolo nos bastidores do restaurante. Dá vontade de saber mais, quem são aquelas pessoas, seus sonhos, seus desejos, suas histórias. E por algumas vezes eu achei que isso iria acontecer na história.

Pra mim, as partes mais prazerosas eram as orientações sobre vinho que a protagonista recebia de uma antiga funcionária do restaurante. Essas narrativas eram gostosas de acompanhar e até imaginar. Mas eu realmente queria mais e a protagonista também quer saber mais, quer conhecer essas pessoas e se aprofundar. Eu queria saber mais dela, dos seus sonhos, do motivo de ter ido embora de casa, seu passado, queria ver ela querer ser mais que uma garçonete. Cheguei até a pensar que ela desenvolveria o prazer pela cozinha e buscasse mais disso.

E os personagens mesmo não falam de si, não contam sobre eles e se orgulham disso, que não interessa, não existe amor, felicidade, que a Tess é jovem, inocente e iludida. WHAT?

Então sim, o livro foi um vazio. Meio decepcionante, meio sem graça, meio sem profundidade. Cheguei a achar que eu tinha lido errado, já que entrou pra lista de Best Sellers né. Mas li algumas opiniões e muitas pessoas entraram no mesmo barco que eu. Então acho que tudo bem.

Se quiser tirar suas conclusões, compre ele por aqui:

 

Veja outras resenhas de livros aqui.

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.