Mais Respeito ao Corpo

Cada dia mais ouvimos falar sobre o padrão do corpo, principalmente feminino. Cada dia mais vemos pessoas se libertando, se cuidando, se tratando, mudando alimentação. Mas os olhares e julgamentos seguem com crueldade, as piadas maldosas e os apontamentos. E é sobre isso que quero falar.

Magricela, palmito, Olívia palito, gordinha, gorducha, bolinha, botijão… são aquelas palavras pra apontar alguém, o famoso ponto de referência sabe? E as mesmas palavras para comentar sobre alguém sem nenhuma necessidade.

Se você é dessas pessoas que julga as outras pelo corpo, vem pensar aqui comigo um pouquinho. Você sabe a história dessa pessoa? Das condições médicas? Das dificuldades? Se ela se cuida ou não? Existem uma infinidade de motivos para alguém estar abaixo ou acima do peso comum e você muito provavelmente não tem nada a ver com isso! Podem ser problemas físicos, podem existir diversos problemas mentais, auto confiança, insegurança, problemas financeiros, problemas pessoais. E você não sabe de nada do que ela está passando!

“Ah, mas não falei por maldade”, “Ah mas falei e elx nem vai ouvir”, “Ah, mas eu sou uma pessoa sincera, falo mesmo”. Sério, joga essas desculpinhas no lixo, por favor. Existe um abismo gigante entre sinceridade e maldade. Não importa se a pessoa vai ouvir ou não, quem vai ouvir também não precisa do seu veneno ou pode ter problemas com o próprio corpo. Quando julgamos os outros por fatores que não temos nada a ver ou sem ser questionados, é maldade, SEMPRE!

Então pare de comentar o corpo alheio, para de apontar de acordo com sua forma física. Busque formas mais positivas de falar sobre o outro. Fulano está ali do lado da menina de tranças, olha a bolsa daquele cara de camiseta vermelha. E sempre é válido lembrar: não tem nada de positivo para comentar, não comente!

Se você for comentar na foto de alguém ou sobre alguém pense duas, três vezes bem sobre o seu comentário, quando for algo além de elogio. Aqui vão algumas perguntas para se fazer:

  1. Alguém pediu minha opinião?
  2. O que vou falar pode machucar alguém?
  3. Gostaria de receber esse mesmo comentário?
  4. Pode soar invasivo, negativo, maldade, xingamento?

Se sim para qualquer uma dessas perguntas, não faça o comentário. Pronto! O que é pequeno e bobo para você, pode gerar um eco absurdo pra quem te ouve, pra quem lê, pra quem está recebendo. Você não vai lembrar o que comentou em 5 minutos, mas muitas pessoas podem passar semanas repassando essa fala na cabeça, se questionando, duvidando, se machucando. E a troco de quê sabe?

Seja sempre positivo sobre as pessoas, ainda mais quando se fala do corpo e da saúde de alguém. Se você quer comentar algo ou precisa mesmo responder com alguma coisa, responda com algo positivo, mesmo que mude de foco. “Mas seu cabelo tá lindo”, “você fica super bem com essa cor”. Já temos muita informação negativa a nossa volta o tempo todo, já nos comparamos e nos questionamos diariamente diante de outros corpos. Somos todos seres humanos por baixo da pele, tudo igual sabe? E a cabeça de cada um é um mundo a parte de dores, medos, incertezas, inseguranças, alegrias, especialidades, experiência e que ninguém mais sabe.

O que importa mesmo nessa vida, não são as numerações de roupa ou da balança, mas de felicidade e saúde. Um corpo bonito não tem tamanho, tem sangue saudável correndo dentro, tem um coração lindo batendo, tem a capacidade de se mover, de pensar, de transformar. Então vamos todos ser saudáveis juntos, cada um cuidando do seu próprio corpo, da sua saúde, da sua mente, da sua felicidade!

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.