Quando faltam ondas na vida

Fiquei querendo um post de texto bonito, desses que eu mais gosto de fazer, parar para pensar, observar comportamento humano, digitar sem parar e depois corrigir, tirar partes confusas e acrescentar novas ideias. Fiquei olhando para o arquivo em branco aberto, as horas passaram, fiz várias outras pequenas coisas, mudei de playlist, rodei o pinterest, vi snaps, rodei o instagram e o arquivo aqui, aberto com essa barrinha marcando as batidas e confirmando o que eu sei faz tempo: estou em um mar sem onda, limbo criativo, travada, estou em uma eterna tela em branco ou como mais quiser chamar.

Não sei o que acontece com a vida as vezes, e cada um na sua especialidade deve dar sua explicação, astrológica, psicológica, feng shui, energia, alimentação e o que mais tiver para acrescentar. Mas a vida as vezes parece que para e tudo fica meio desligado.

E aqui estou eu, mesmo depois de ler vários livros no último mês, incluindo um sobre criatividade, de começar a aprender a bordar, dedicar um pouco mais de tempo ao pinterest como fonte de inspiração; estou vazia. E hoje cheguei a conclusão que as vezes a vida fica meio assim, esquisita, parado, sem mudança, poucas cores, pouco ânimo. Até mesmo para cozinhar, coisa que amo e faço com prazer, mesmo que seja só pra mim, estou travada, vejo receitas, abro livros, abro a geladeira e nada.

E é nessas horas que o mar fica parado, sem onda, que é hora de nadar um pouco, mudar de lugar, mudar de foco, encontrar outras ideias e oportunidades em lugares diferentes. Sair do computador e pegar um caderno para rabiscar, sair do pinterest e olhar a sua casa, sair do instagram e pegar uma câmera. E então me lembro do livro com dicas de criatividade (aqui) que o autor tem um escritório dividido ao meio, de uma lado tudo analógico, uma escrivaninha com papéis e canetas, cadernos e o que ele precisar para criar e então do outro lado uma escrivaninha digital, com seu computador, impressora e o que mais ele precisa para passar o trabalho dele para lá. E talvez então, seja hora de pegar um pouco do que leio e mudar, criar novos hábitos, criar uma nova rotina, limpar a mesa, liberar espaço para criar, desbloquear as ondas e agitar essa maré sem graça.

Sei lá se isso faz algum sentido, se estou falando bobeira aleatória e soltando várias palavras sem sentido pra quem lê. Mas estou aqui, esvaziando a caixola em uma tentativa de liberar a criatividade que entrou de férias. Estou tentando sacudir pra ver se agita um pouco, tipo aquela frase que precisamos as vezes agitar a vida porque o açúcar pode estar parado no fundo sabe?

Então vou aproveitar a desculpa do brasileiro de que o ano só começa verdadeiramente depois do carnaval e começar mudando, já nessa segunda feira.

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.