Quando você aprende sobre auto sabotagem

Tem alguns dias eu venho avaliando meu comportamento, sou ótima em fazer isso, mesmo. E eu sempre tive um padrão para sabotar minha alimentação, estava triste andando sozinha no shopping: “vou comer essa porcaria boa aqui e ninguém vai ficar sabendo, aí amanhã eu pego leve”, estava com preguiça de preparar almoço “ah, vou só comer arroz com qualquer coisa em cima que tem na geladeira”, ia ao cinema e qualquer coisa era desculpa para comer um hambúrguer completo e ainda pegar o maior pacote de pipoca porque o preço era quase igual ao pequeno, sem falar que qualquer irritação, stress, tristeza ou desânimo era motivo para ir ao mercado na esquina de casa e comprar um vinho, porque afinal de contas “eu mereço”. E é claro que tem aquelas “tô de tpm e eu quero!”, “fiz um monte de coisa hoje e mereço”, “aguentei muito desaforo hoje, então preciso”, “tô de dieta, mas vou abrir uma exceção hoje”, “tô indo bem na dieta faz uma semana, hoje posso”. E nessa avaliação toda, percebi que mudei! :)

Sempre fui campeã em inventar desculpas para comer mais, para comer algo “errado”, para beber qualquer dia da semana, para pedir delivery. E o negócio é que funciona mais ou menos assim: o passado já era, apagamos da memória tudo que comemos; o presente, no agora, nós queremos, muito, custe o que custar e no futuro você resolve, você lida com isso. E então o dia seguinte chega, ou seja, o futuro e entramos na mesma de já era o que comemos ontem, queremos hoje, agora, e amanhã lidamos. E então vai virando aquela eterna bola de neve, de deixar para amanhã e muitas vezes coloca limite até domingo, segunda feira começa tudo sério. Doce ilusão!

E bom, a verdade é que chega a um ponto que você se auto sabota e se arrepende na hora, você começa sabotando sabendo que não deveria, que não deve e muitas vezes nem pode. Então vive de consciência pesada, vive se culpando porque está vivendo por impulso, muitas vezes a comida nem satisfaz mais e depois ainda a sensação física é pior, o peso no estômago pesa tanto quando o mental.

Mas é aquela mania de agir em grupo sabe? Ah, todos estão pedindo sanduíche, vão ficar enchendo o saco porque estou pedindo uma refeição balanceada, um sanduíche natural ou até mesmo uma salada. Ah, tá todo mundo bebendo na festa, vão zuar se eu beber água. Ah, festa de casamento é dia de tirar a barriga da miséria. Ih, tô no shopping, não tem opção leve.

Sei que muita vezes é difícil, não só por ouvir os comentários que são variados e vão de “não vai beber, está grávida”, “mas você quer emagrecer aonde?”, “me faz companhia, não me deixa ficar culpada sozinha”. E na maioria das vezes é difícil esse famoso auto controle, e a famosa auto sabotagem entra em jogo. E o conjunto acaba com tudo, porque alguém comenta, e aí você já está se segurando, e então desiste pra não ouvir mais comentário desnecessário.

É cruel tudo isso, mas o prejudicado somos nós, sempre! E não é fácil o processo pra entender tudo isso e aceitar, parece bobagem e o que os outros falam vale mais. Então aqui vão algumas dicas:

1 – No começo, evite sair, evite cinema, festinhas, happy hour e afins – se precisa realmente ir, coma antes e então você poderá recusar qualquer alimento oferecido dizendo “não, obrigada, já jantei antes de vir”. Se insistirem – porque tem gente chata nesse mundo – invente uma desculpa do tipo “não obrigada, vou fazer exame amanhã cedo e não posso comer mais hoje”.

2 – Coma antes de sair sempre, se for para o happy hour depois do trabalho, pare em algum lugar que tenha algo legal para você comer ou leve na bolsa para comer no caminho. Assim, de estômago cheio será mais fácil resistir as tentações e pegar uma ou outra batatinha será ok, e não vai precisar pedir uma porção toda sua.

3 – Tenha sempre lanches na bolsa (pacotinhos de oleaginosas, barra de cereais, fruta, bolachinhas integrais) e quando estiver na rua ou entre compromissos que não terá tempo de sentar para fazer um lanche apropriado, belisque o que tem para não deixar o estômago vazio.

4 – Aumente o consumo de água para pelo menos 2 litros por dia!

5 – Pense sempre em você quando começar a ouvir os comentários chatos, não precisa sair contando que está de dieta, tente sempre ser educada de início, se ficar chato seja chata também. Mas você pode dizer que está melhorando a alimentação (isso sempre joga a culpa para quem tá pressionando porque faz eles pensarem “é, tô precisando também”), que está dirigindo (o que deveria valer para todos que estão dirigindo), que está bebendo somente no final de semana, que fez promessa, que está tomando medicamento, que está sem dinheiro, que não está bem do estômago. Sempre dá para responder alguma coisa para o chato parar de chatear! Ah, e você pode sempre jogar a culpa em alguém, eu jogo na minha nutricionista com um “não posso, minha nutricionista não deixa”.

6 – Pare de se importar com o que os outros pensam, porque quando isso tiver realmente funcionando em você, aquela mesa de bar com todos com o copo de cerveja e você com um suco ou uma água com limão e gelo não será entediante e bobo, você vai se divertir na mesma proporção. Está na sua cabeça que o bar sem a cerveja não tem graça!

7 – Anote o que você anda comendo e marque os dias que fez atividade física, até quando não aguentar e comer algo “errado” ou quando fizer só 15 minutinhos de dança na sala de casa. Assim, se no dia seguinte bater essa vontade louca, vai ver se comeu algo fora da linha nos últimos dias ou até se fez algum exercício para ajudar seu metabolismo.

8 – Se você só quer perder medidas e chegar em SEU corpo ideal (não aquele da revista), crie metas. Se você está só mudando sua alimentação, pode ser mais fácil.

9 – Limpe bolsa, armários e gavetas, não tenha tentações em casa nem ao seu alcance.

10 – Aprenda sobre as lanchonetes e restaurantes da sua cidade, veja os cafés que oferecem opções legais para você, aqueles que pensam alem da salada básica, da salada de frutas simples, que já entendem o conceito de sem glúten, sem lactose, funcional, fit e todos esses termos. E que dará mais opções além dos salgados fritos, cafés cheios de creme e cobertura, sobremesas cheias de açúcar e afins. Acredite em mim, existe muita opção, você só precisa aprender a olhar melhor!

Mas acima de tudo, aceite que demora para aprender sobre sua alimentação, demora para você desligar dos comentários alheios, demora para aprender a escolher sem sofrer, demora para aprender e enxergar essa auto sabotagem.

E para ilustrar tudo isso, vou contar um breve fato: estava tendo um dia difícil, chateada e de tpm, precisei passar no shopping e ainda mais chateada pensei “vou é comer um pretzel para afogar minhas mágoas, que se dane, ninguém vai saber e se souber, o problema é meu”, andei mais um pouco, olhei vitrines me distraindo e entrei uma lanchonete nova, um café saudável com opções de salgados funcionais, salada de frutas e afins e pedi isso:

IMG_2296

Sim, um pudim de chia com uma geléia de morango e limão e uma granola. Eu estava em um shopping cheio de opções, mas fui na melhor para mim, que mesmo de tpm sabia que não precisava mesmo de qualquer outra coisa e sabia que se comesse ia estar me culpando. Entendeu?

E não pense que é um sofrimento, falei muito sobre isso nesse post aqui: Dieta não é tortura nem privação. É fazer escolhas melhores para você, é ir além da alimentação e aprender a controlar sua mente, trabalhar o auto controle, a auto crítica.

Comments

comments

Avatar

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.