Rotina de exercícios – Como criar a sua

Quando o tema é exercício físico tem sempre dois times: os que praticam e os que dão um motivo (ou vários) para não fazer. Eu fazia parte desse segundo time, era craque em: ah, Curitiba sempre chove, não tenho empenho de fazer caminha e corrida assim; odeio academia, já tentei várias vezes; não consigo lidar com a liberdade de horário de academia; odeio gritos e puxões de personal; perto da minha casa as academias e escolas são caras; a única barata que encontrei era longe e fora de mão para ir; é chato fazer sozinha; não aguento nem 5 minutos de exercício; tá frio pra colocar legging e top; não consigo acordar cedo; não tenho um bom horário; não tenho espaço; meu prédio bem que poderia ter academia; tô sem grana pra pagar alguma coisa; a hora que começar a esquentar eu juro que saio todos os dias para caminhar. E por aí vai. Já falei de tudo para não fazer nenhum alongamento. 

E bom, o primeiro segredo de todos é: querer! E não me venha com um “ah, até quero, mas não tenho tempo” porque sempre dá para colocar 20 a 30 minutos na sua agenda para alguma atividade. Se você quer mesmo, você consegue se programar, seja acordando mais cedo, se é diminuindo o tempo de almoço, se será após o expediente, tarde da noite, depois do jantar ou até mesmo antes de dormir.

A partir do momento que você definir o seu momento de atividade, o tempo para realizar, é necessário comprometimento. Ela deve vir quase sempre em primeiro lugar, sem desculpas de tem happy hour, tô muito cansada, não tô afim, tô com cólica, etc. Deixe sempre em segundo plano, se tem festinha, vá depois do exercício, se tá com cólica pense que o corpo vai esquentar e vai melhorar, se tem alguma dor no corpo, pegue leve, mas ainda assim faça!

Em segundo: defina sua atividade! Se ainda não encontrou a sua favorita, vá testando, faça aulas experimentais, tente de tudo, academia, personal, funcional, cross fit, boxe, muay thai, judô, dança, yoga, pilates, as opções são infinitas e alguma delas pode ser a sua. Então não desista só porque não gosta do ambiente de uma academia tradicional.

E se a grana tá curta, tem sempre as opções de fazer em casa, na rua, na praça ou até mesmo dividir um personal ou professor com amigos e familiares. Hoje em dia tem vários canais no YouTube ensinando de tudo, séries variadas de exercício, coreografias, alongamento, yoga, pilates solo. E é claro, os aplicativos para celular que pode ajudar muito! Então é só ter um eletrônico com internet, um mínimo de espaço e mandar ver!

Mas tem que se apegar a atividade, assim ficará bem mais fácil se comprometer a ela. Porque afinal de contas é seu momento, é hora de suar, desestressar, relaxar, o que for.

Em terceiro, minha dica é definir um horário. Não deixe livre para encaixar na sua agenda quando der, porque se for assim, as coisas vão surgindo e não vai abrir uma brecha na agenda para seu exercício. Você precisa colocar ele previamente nela, assim nada deverá interromper.

E mais uma vez, faça testes, acorde antes, veja em horário de almoço, final da tarde, a noite. Qual é o melhor horário para você. Eu já testei acordar cedo, era até bom, mas eu não sou uma pessoa matinal, agora estou bem adaptada ao final da tarde, afinal, eu faço meu lanche, espero um tempo e já me visto para começar – e caso eu tenha compromisso, faço algo mais simples a noite antes de dormir. Então tenho até plano B se não conseguir no meu horário. 

E não pense que exercício é só em dia útil – ou seja, de 2ª a 5ª já que 6ª é dia de sair. Não arranje desculpas de 6ª a domingo. Olhe para o final de semana com outros olhos, aproveite o tempo livre para ir se exercitar em um lugar novo, fazer um alongamento com mais calma, combine com amigos para fazer exercício junto, sair para uma pedalada, para patinar, para dançar, combine de fazer trilha ou aproveite até para marcar aquela aula experimental que não rolou durante a semana.

giphy (7)

Para encerrar, um ponto muito importante é: o começo é sempre difícil! Não desista porque não aguentou uma aula inteira, que tá super dolorida no dia seguinte, que exercício não é para você, que não aguentou correr por uma quadra. Exercício é para todos sim, e não é fácil para ninguém no começo. Pegue leve, aceite suas limitações, são parte de você – por enquanto! Preste atenção na sua evolução a cada semana, tire foto no primeiro dia, tire suas medidas, conte quanto tempo conseguiu fazer, quantos exercícios aguentou, vá anotando sua evolução. Depois perceba que alguns exercícios passam a ficar mais fáceis e você já pode fazer um pouco mais rápido, um pouco mais forte. E assim você vai sentindo um orgulho incrível de si e consequentemente vai sentindo vontade de continuar e estar sempre melhor.

Mas antes de tudo, consulte um médico, é claro! Verifique sempre sua saúde, aceite as orientações médicas e siga elas com amor por seu corpo. E faça exercício pelo mesmo motivo.

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.