Sobre Dieta e “Dias de lixo”

Sempre falo aqui que odeio o termo dieta ou regime. Trás todo um sacrifício, uma tortura, um castigo sabe? Quem entra na tal da dieta se sente castigado e passando pela pior fase da vida (por isso geralmente duram 3 ou 4 dias), e quem não está, escolhe torturar e questionar quem decidiu estar em dieta (não vai comer nenhum pouquinho, vai comer só isso, isso é comida de passarinho, etc).

É um sofrimento sem fim, um peso no corpo, preparar uma refeição vira um sofrimento, ver alguém comendo algo diferente é uma cena terrível. E aí a pessoa sofre por um determinado período, ou porque precisa ficar bem em uma roupa um dia, ou porque abusou nas férias ou até porque abusou nos últimos anos. Mas a verdade é que ela não quer aquela alimentação, não quer aprender, não quer conhecer novos alimentos e preparos, não quer aprender a fazer trocas inteligentes, muito menos saber balancear a vida. E aí eu pergunto: Mas porque mesmo você está sofrendo então? Aceita o seu novo peso, compra uma roupa que fique bem nele e desencana.

Mas se for pensar positivo, se a pessoa decidiu encarar a tal da dieta, levar a sério, sofrer, mas seguir em frente, ótimo. Ela tá se cuidando, mesmo sofrendo, ela tá aprendendo lanches diferentes, olhando para outras opções no mercado, no buffet, na praça de alimentação.

Aí vem lá quem quer que seja que está orientando essa pessoa (nutricionista, nutrólogo, endócrino, coaching, a revistinha da dieta) – que nem vamos entrar nesse assunto – e diz que dá de presente um “dia de lixo”. Dia – de – lixo!

Vou só comentar primeiro que chamam a comida de lixo.

Mas no caminho da dieta, a pessoa está lá, indo bem, olha no calendário, no cardápio e está escrito lá que é dia da loucura total, de comer o que quiser, de enfiar o pé na jaca, de ir no rodízio como se não houvesse amanhã. Algumas pessoas encaram super bem, usam esse dia para matar uma vontade banal de comer sei lá, uma coxinha; outras preferem ir na feira e comer um pastel. E essas seguem uma alimentação balanceada, e muitas vezes nem conseguem comer direito porque o corpo já não aceita mais a gordura ou o açúcar em excesso. Mas a maioria das pessoas, os ansiosos e gulosos veem isso como um portal para a Disney praticamente. Atrapalham todo o metabolismo quebrando um ciclo que estava indo bem, atrapalham todo um foco que mesmo sofrido, estavam seguindo no plano alimentar, na mudança, na alimentação balanceada. E para muitos, o que era pra ser um único dia ou uma única refeição, é uma porta aberta para novas desculpas, pequenas fugas e tudo vira uma bola de neve.

Porque no dia seguinte uma nova oportunidade aparece, uma colega vendendo doces na empresa, o carro dos sonhos passando na porta de sua casa, uma TPM, um evento. E enquanto você estava bem focada sem sair da linha, aquela oportunidade aparece num momento de fraqueza, afinal de contas, você já saiu da linha e comeu tudo errado no dia anterior. Mais uma coisinha aqui não vai fazer diferença né? E no dia seguinte uma outra oportunidade, e depois também. E novas desculpas vão surgindo: semana que vem eu volto a sério, amanhã eu fico mais tempo na academia, depois eu marco uns dias de detox. E sem perceber aquela velha rotina já está reestabelecida e nenhuma reeducação alimentar realmente aconteceu.

Eu acredito em uma vida com equilíbrio, aprender a comer melhor, a nutrir o corpo, a conhecer novos ingredientes e preparos. Ter conhecimento de alimentos que são realmente ruins para o nosso organismo e evitar eles ao máximo se não conseguir eliminar. Comer sim coisas que dão vontade, um lanche, uma fritura, um drink, um pedaço de bolo, mas comer com consciência. Fazer dieta se for necessário, mas aceitar numa boa, sem ver como castigo, sem sofrimento. Consciência e equilíbrio sempre! Sem lixo.

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.