Trabalhos manuais para começar hoje

Já se foi o tempo que os trabalhos manuais eram coisa de vó, de sra. aposentada, de dona de casa. Aquela atividade que as meninas aprendiam na infância, para um dia preparar seu enxoval, para ter um trabalho em casa. Tudo isso aí virou um trabalho sério, que é renda para muita gente, é terapia para outros, hobbie, passatempo, complemento de renda, enfim. Sem falar que tem crianças, jovens e adultos, homens e mulheres.

Tá todo mundo descobrindo a delícia de sentar na cama, na poltrona, na varanda, no sofá, na grama e deixar as mãos trabalharem livremente, sem precisar raciocinar, deixando o pensamento quietinho. É quase uma meditação!

E é um negócio incrível tudo isso, conforme você pega gosto, prática, vai querendo mais, vai estudando, conversando com pessoas. Quer novos formatos, novos desenhos, novas técnicas. Encontra pessoas com trabalhos diferentes e cria uma rede de afinidades. E ao mesmo tempo relaxa, desconecta de todo o resto.

Por aqui, tem dias que eu coloco uma boa música e vou longe, outras vezes é com filmes e séries que já assisti milhões de vezes e não perde a graça nunca. Tem dia que bordo alguns minutos e sigo para outra atividade, em outros eu não tenho vontade de parar.

Então se você está em dúvida, quer começar algo e não sabe ainda o que, vem que eu ajudo com ideias:

Tricô

Comece com o básico, faça quadradinhos, cachecol e depois que pegar prática e não perder mais ponto na agulha, siga para modelos com formatos, tipo meias e blusas. Tem um infinidade de pontos e estilos. As agulhas variam muito do formato, sem falar no mundo das lãs que é enorme.

Eu fiz por muito tempo, tive um cachecol de cada cor nessa época. Mas não consegui aperfeiçoar mais que o ponto e ponto e meia. Ficava torto, muitas vezes minha mãe ou minha tia tinham que arrumar algum ponto perdido pra mim. Sem falar que eu não conseguia colocar ponto na agulha, nem finalizar depois. Mas o meio eu fazia razoavelmente bem e era uma delícia!

Sou apaixonada por peças de lã bonitas e bem feitas, amo entrar em lojas de armarinhos e ver o mundo das lãs e pensar em peças com elas. Só não consigo executar mesmo.

Ah, e tem até gente fazendo tricô com as mãos e fios da grossura de um rolo de papel. Meu sonho ter uma manta na ponta da cama com um tricô grande desses!

Crochê

A delicadeza e miudeza do crochê me impressiona. Mas é uma arte que vai da mini agulha com pontos super pequenos, até a agulha maior, com linhas e fios grossos.

Cada dia vejo mais gente mergulhando no mundo do crochê e invejo essas pessoas. Minha mãe tentou me ensinar de várias formas, depois a vó do meu marido também tentou me ensinar. Mas a verdade é que a pequena agulha e forma de gancho com uma linha nunca fez sentido, parece quase uma mágica você dar meia volta e do nada forma uma corrente.

E o mais legal é o tanto de trabalho maravilhoso que tem aparecido. O que antes eram só peças de roupa de praia, toalhinhas de mesa de telefone ou tapetes de cozinha e banheiro, agora viraram vasos, tapetes lindos, colchas, bonecas, amigurumis, bichinhos e o que mais conseguirem pensar em fazer.

Bordado

Eu me encontro nesse grupo, mais especificamente ao bordado livre. São vários estilos e jeitos de bordar e tem cada trabalho maravilhosa que é uma obra de arte. E assim como os outros, existe um mundo de pontos para estudar constantemente. Dá para bordar em peças de roupa que já tem em casa ou fazer coisas novas.

E é claro, tem bordados pequenos para criar peças de bijuteria até peças grandes, mantas, tapetes, quadros.

Ponto cruz

Lembro de ter aprendido a fazer ponto cruz quando criança, para bordar as toalhinhas da minha irmã antes de nascer. Fiz algumas, mas a precisão e a falta da liberdade me cansaram. Sem falar que o meu avesso era um show de horror. E acho que o ponto cruz não deixa livre um avesso, tem que ser quase tão perfeito quanto a frente, ainda mais para peças como toalhas, que aparecem os dois lados.

Mas enfim, é um trabalho super delicado e tão prazeroso quanto o bordado livre. A diferença é o tecido para bordar que precisa ter os furinhos formando aquele jogo de pontinho sabe? E os desenhos são em pixel sempre, quadradinho por quadradinho.

Tecelagem

Alguém me ensina? Acho maravilhoso! Fico babando quando vejo pessoas produzindo com teares e em algum tempo sai algo bem maravilhoso que não fazia sentido no começo.

A nova onda são as artes em lã para parede que já mostrei nesse post aqui. Mas tem tanta coisa feita na tecelagem que nem sei. É um mundo a ser explorado e que sou muito curiosa em conhecer.

Costura

Meu sonho em ter uma máquina de costura e produzir peças simples para uso próprio. Mas acho que antes eu teria que aprender o básico de corte, costura e moldes. Mas eu admiro quem tem essa habilidade e um dia quero adquirir.

Mas o mundo da costura vai além de fazer roupa, dá para fazer coisas para casa, tanto artesanato, costura em couro e até brinquedos.

Por sinal, ando apaixonada em que produz brinquedos de pano para crianças.

Pintura

Ah, o universo da pintura é tão grande. Tanto estilo, técnicas, texturas, materiais. E ele sai das tradicionais telas, vai para as paredes, móveis, tecidos. Precisa de um pouco mais de espaço que uma simples caixa, dependendo do que vai pintar. Se for tela é preciso do cavalete, sem falar de um espaço reservado para isso, assim não vai respingar tinta por tudo.

Mas eu acredito que a partir do momento que você se conecta com isso, deva ser incrível!

Desenho

Tem muita gente que acredita que é preciso ter um dom, mas eu acho que é preciso gostar mesmo. Se você gosta de desenhar, praticar, estudar e se dedicar vai te dar um estilo, os traços que precisa.

E aí é só procurar pelos materiais que mais gosta, se é só grafite, se é pintura, aquarela, lápis de cor e sei lá mais o que.

E o legal é que para se distrair, basta ter um caderninho na bolsa, na mochila, um lápis e rabiscar livremente.

E se você acha que não consegue acompanhar só com vídeos de tutorial no YouTube ou não tem alguém próximo que possa ensinar, é só procurar por cursos e oficinas. Em muitas cidades além de cursos formam-se grupos com encontros semanais para trabalhar junto, bater papo, trocar ideia, técnica, experiência, tomar café.

Procure na sua cidade, procure grupos no Facebook, perfis no Instagram, crie grupos na sua cidade.

E dá para ir testando cada atividade, ver qual se adapta melhor, qual conquista seu coração. E então montar um kit básico para começar e depois ir aumentando conforme vai viciando. Fazer as primeiras peças de teste, depois pode virar presente para pessoas queridas. E aí vai ser sua válvula de escape depois de um longo dia, em um domingo chuvoso, passatempo enquanto a comida está no fogo e por aí vai. 

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.