Você questiona seus sentimentos?

Segunda feira de manhã, você chega no trabalho e percebe o tanto de coisa que deixou de fazer na sexta feira e agora tem muito trabalho acumulado. Então a partir daí é tudo ladeira a baixo. Novas tarefas, o tempo de almoço não foi suficiente para comer e ir ao banco, o médico atrasa na consulta, a escola liga com problemas sobre seu filho, o carro quebra, a comida que você deixou para preparar já estragou. E entre tropeços ao longo do dia, todo mundo ouve suas reclamações, seus xingamentos e levam broncas que nem são delas. Mas se voltar na lá sexta feira, que você decidiu deixar tudo para depois e ficar tranquila no café batendo papo com os colegas, quando poderia ter perfeitamente feito a maior parte das atividades. A culpa da irritação de um dia todo, é sua e do seu “eu” na sexta feira. Consegue perceber?

A mesma coisa acontece quando você estuda e vai deixando acumular trabalhos e estudos. Ou quando você tem meses antes do casamento e não cuida do tamanho exato do vestido e deixa para cuidar da alimentação no último mês. Ou até quando decide fuçar a vida do namorado e cria toda uma novela em torto de bobeira, causa um grande transtorno dentro da sua cabeça e pronto, o que vai sair não é nada bom.

Mas o que eu quero dizer com tudo isso? Eu quero dizer que antes de qualquer reação sua, seja chorar e espernear ou sair soltando os cachorros, pare um pouco para pensar. Volte um pouco no tempo, revise tudo que anda acontecendo para saber a origem daquele sentimento. É tipo rebobinar uma fita, voltar algumas páginas da história e prestar atenção em alguns detalhes. Como e porque você chegou aqui?

Vai sair buzinando no trânsito porque você fez uma baliza errada na garagem do prédio e estragou seu carro? Que culpa tem as pessoas na rua nisso? Vai brigar com seus filhos, com seus cachorros porque você esqueceu de algo importante? Vai brigar com seu namorado/marido porque supôs algo e ele não fazia ideia de nada e acabou não fazendo o que você deixou dentro da sua cabeça?

Então meu conselho aqui hoje é, quando sentir um turbilhão de coisas ruins pare por alguns segundos. Faça um exercício de respiração profunda por pelo menos 3 vezes. Então comece a se questionar, comece a pensar, comece a explorar esse sentimento. Sinta ele, tente imaginar a dimensão, proporções, alcance. Tente entender cada pedacinho, cada parte, cada palavra que você já pensa em soltar por aí.

Pode ser que seja culpa sua, pode ser a falta de alguma conversa que deixou para depois, pode ser até pensando em algum problema que nem é seu e você não pode fazer absolutamente nada por ele.

Procure entender o seu sentimento, o histórico e causa. E dessa forma, quando for lidar com ele, seja conversando com alguém, seja escrevendo em um diário, seja até mesmo confrontando, você terá palavras melhores para dizer. Não vai falar várias coisas sem sentido. E a empatia estará presente também! Você vai lidar melhor com isso internamente e externamente, vai saber expor aquilo para alguém da melhor forma, será melhor ouvido e o mais importante de tudo isso, não vai acumulando mais e mais sentimento ruim dentro de você! 

Olhe para dentro para falar para fora! ;)

Gif de capa por Amelia Giller

Comments

comments

Mari Medeiros

Relações Públicas, fotógrafa, maquiadora, conectada e que gosta de fazer de tudo um pouco pra não cair no tédio.